11/12/2017 01:01:18
SinalTV - Canal MEO 500520
  • SinalTV no Facebook
  • SinalTV no Twitter
  • RSS Feed da SinalTV
SinalTV
Luís Carlos Soares
OPINIÃO

Primeiras impressões sobre Ricardo Soares

Luís Carlos Soares

A vitória sobre o Estoril é daquelas que apetece dizer que valem muito mais do que três pontos, sobretudo para Ricardo Soares. Para começar, chegou logo ao primeiro jogo enquanto novo “timoneiro”, o que lhe retira desde logo um enorme peso sobre os ombros, podendo trabalhar com a plena confiança de todos durante os longos 17 dias antes do próximo jogo. Para além disso, antecipou dois compromissos de dificuldade acrescida: deslocação ao terreno do Rio Ave e receção ao Sporting.

No final do jogo, Soares atribuiu grande peso desta vitória a Jorge Simão, o que não é de estranhar, dado que antes só levava dois dias de trabalho. De resto, ao longo dos 90 minutos, denotou-se muito respeito pelo valoroso legado deixado pelo seu antecessor, com a apresentação do onze e do sistema tático do costume. Até a habitual demora em recorrer ao banco foi reproduzida.

Tanta semelhança não é de estranhar, dado os bons resultados até aqui obtidos. Porém, o Desportivo de Chaves logrou a entrada em campo mais ofensiva desde o início da época, por maior ou menor que seja a influência do novo treinador neste aspeto. As quatro oportunidades de golos geradas logo nos primeiros 20 minutos só encontram paralelo na segunda parte de grande pendor ofensivo diante do Belenenses, jogo no qual a equipa havia entrado adormecida.

O perfil do treinador escolhido indicava uma aposta na continuidade: o Vizela de Ricardo Soares, tal como o Chaves de Jorge Simão, era uma equipa confortavelmente colocada na primeira metade da tabela do respetivo campeonato, depois de ter subido de divisão. À data em que houve a troca de treinadores, o Chaves e o Vizela eram as equipas com mais empates na Primeira e Segunda ligas, duas das defesas menos batidas e ambas com um saldo positivo de dois golos.

Para além de tanta semelhança que só pode ser interpretada como bom augúrio, a exibição de ontem só deixa bons indicadores para 2017. Se me fosse permitido pedir a este treinador alguma mudança, seria uma maior aposta em Vukcevic. Quanto ao resto, com a confiança reforçada em Ricardo Soares, só me resta desejar a todos os leitores um Feliz Natal e um próspero Ano Novo para o Desportivo de Chaves.

Texto: Luís Carlos Soares

Jornalista