23/02/2020
07:37:00
SinalTV - Canal MEO 500520
19-09-2014
Sociedade

Requalificação de trabalhadores "excendentários" avança

Requalificação de trabalhadores excendentários avança
Os trabalhadores da Segurança Social em carreiras não revistas ou que ficaram sem funções atribuídas poderão vir a ser colocados no antigo procedimento de mobilidade especial, confirmou fonte da tutela ao Público.
Os trabalhadores ‘excedentários’ que estão em carreiras não revistas ou que ficaram sem funções poderão ser recolocados devido ao processo de requalificação. Conta o Público que a tutela encetou procedimentos para agilizar os mecanismo de requalificação.

A situação já tinha sido denunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública que afirmou que durante dias foram mantidas reuniões nos centros regionais da Segurança Social com o intuito de enviar para o regime de mobilidade vários trabalhadores.

A mesma situação foi referida pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Pública que, segundo o mesmo jornal, noticiou terem existido reuniões de dirigentes “com o objetivo de identificarem postos de trabalho que possam ser suprimidos e colocados nos supranumerários”.  

Os responsáveis ministeriais bem como o Instituto de Segurança Social não responderam a estas denúncias, e no final do Conselho de Ministros desta quinta-feira Marques Guedes abordou a questão dizendo que esta estava prevista na lei, portanto que não percebia o porquê de estarem a ser noticiadas como denúncias. “Não percebo o termo de denúncia. Denuncia o quê? A aplicação da lei?”, questionou o ministro da Presidência.

Pedro Mota Soares estará empenhado em reduzir a despesa do seu ministério e, por isso, assegura fonte do setor, foi decidido extinguir carreiras que não chegaram a ser revistas, colocando por consequência os trabalhadores em regime de mobilidade. O mesmo sucederá a trabalhadores de creches e ateliers de tempos livres que não foram integrados nos quadros, explica o Público.

Os trabalhadores em requalificação são dispensados, recebendo apenas parte do salário, 60% do seu rendimento nos primeiros 12 meses e 40% daí em diante. 

Fonte: Notícias ao Minuto

Outras notícias