23/02/2020
06:29:07
SinalTV - Canal MEO 500520
27-01-2020
Sociedade

Produtos regionais esgotaram na Feira do Fumeiro de Montalegre

Produtos regionais esgotaram na Feira do Fumeiro de Montalegre

Cerca de 50 mil visitantes passaram, no último fim de semana, pela Feira do Fumeiro de Montalegre, dinamizando a produção e comércio locais. Quase todos 94,3% chegaram à região propositadamente para o evento e praticamente metade para uma primeira visita, 47,6%.

Na 29.ª edição, a Feira do Fumeiro de Montalegre surpreendeu com um aumento do impacto económico na região de 3,5% face ao ano anterior (5,7 milhões de euros, em 2019). Destaca-se que, a meio do dia de domingo, vários expositores já tinham esgotado o seu produto. De acordo com um estudo do Núcleo de Investigação do ISAG, European Business School, realizado em parceria com a Câmara Municipal de Montalegre, 3,2 milhões de euros foram gerados só no recinto.

O Estudo de Público, de Impacto Económico e de Comportamento do Consumidor em Relação à marca “Fumeiro de Montalegre” foi aplicado pela segunda vez consecutiva e comprovou a atratividade desta celebração do mundo rural junto de público vindo de todo o país. 78,6% dos 50 mil visitantes chegaram de outros concelhos portugueses que não Montalegre.

Apesar da sua longa história, a Feira do Fumeiro de Montalegre não deixa de ser uma novidade e de atrair um renovado público, com a edição de 2020 a marcar a estreia de 47,6% dos visitantes. Verificou-se também que 66,5% dos visitantes não residentes no concelho de Montalegre não costumam vir a outros eventos promovidos na região, o que indica a forte atratividade deste evento.  Os visitantes foram unânimes em relação à satisfação global face ao evento (4,51 de 1 a 5). Destacaram igualmente a satisfação e a organização da feira (4,47 de 1 a 5).

Em quatro dias dedicados à excelência das iguarias locais, a sua qualidade e diferenciação ficou bem patente, com a alheira, a chouriça de carne, o salpicão e o presunto a serem os produtos mais comprados. A “qualidade do Fumeiro” foi mesmo o fator mais valorizado (4,46 de 1 a 5) na hora de decidir ir à Feira do Fumeiro, juntando-se a “reputação da feira” (4,42 de 1 a 5) e a “possibilidade de conhecer produtos regionais” (4,38 de 1 a 5) como outros motivos em destaque.

O estudo do NIDISAG avaliou também o comportamento dos visitantes enquanto consumidores de fumeiro, denotando o consumo de pelo menos uma vez por mês como o mais frequente (37,3%). O local preferido para a compra do fumeiro são mesmo as feiras tradicionais (32,4%) ou a compra diretamente ao produtor (23,9%).

Entre os objetivos do estudo, esteve ainda a avaliação da forma como a marca “Fumeiro de Montalegre” é percecionada. Aqui confirmam-se os elevados níveis de concordância em relação à procura e à possibilidade de compra, no futuro, de produtos desta marca (4,49 e 4,44 de 1 a 5, respetivamente). Os níveis de satisfação são atestados com 89,9% a indicar que serão recomendados os produtos da marca “Fumeiro de Montalegre”.

Fonte: Núcleo de Investigação do ISAG – European Business School

Outras notícias