28/05/2020
15:40:13
SinalTV - Canal MEO 500520
07-10-2014
Politica

Políticos nacionais entre os mais mal pagos na União Europeia

Políticos nacionais entre os mais mal pagos na União Europeia
Cavaco Silva, no seu discurso do 5 de outubro, relançou a ideia de que os políticos, em Portugal, ganham mal. O Diário de Notícias divulga uma tabela onde se pode ir percebendo se é mesmo esse o caso.
Usando como base 19 países da União Europeia e os respetivos vencimento-base, anuais e em valores brutos, de deputados, o Diário de Notícias adianta que há apenas três destes 19 países onde os deputados recebem pior do que os deputados portugueses: Chipre, Espanha e Polónia.
No topo da lista surge a Itália, a uma larga distância, com os seus deputados a ganharem o triplo (139.282 euros) do que ganham os portugueses (44.652 euros). Atrás da Itália, no topo da lista, surgem Holanda (107.006 euros), Áustria (99.080 euros) e Alemanha (95.117 euros).

E se os deputados alemães ganham pouco mais do dobro do que os portugueses, o cenário é pior para Passos Coelho – Angela Merkel recebe quatro vezes mais do que o primeiro-ministro português (5.722 euros mensais brutos). David Cameron (Reino Unido), François Hollande (França) e Mark Rutte (Holanda) recebem todos pouco mais do dobro do líder do Executivo português.

Mesmo comparando com a Grécia, a diferença não é famosa. O chefe de governo helénico recebia mais do que o português (6.420 euros) e até passou a receber menos, com a crise (4.368 euros), uma diferença que, no entanto, vai sendo compensada por despesas de representação mais benéficas.

Embora os políticos portugueses percam para os estrangeiros, a diferença para o resto da população nacional é notória: ganham seis vezes mais do que o ordenado mínimo (agora de 505 euros) e seis vezes mais do que o salário médio nacional, que em 2013 se fixou nos 984 euros).

Feitas as contas, realça o mesmo jornal, a conclusão é de que o caso não será tanto o de os políticos ganharem muito, antes, o de a generalidade dos portugueses ganhar, em média, pouco.

Fonte: Notícias ao Minuto

Outras notícias