25/04/2019
18:18:34
SinalTV - Canal MEO 500520
13-03-2015
Sociedade

Hoje é dia de greve. Saiba com o que pode contar

Hoje é dia de greve. Saiba com o que pode contar

Várias confederações e sindicatos da Função Pública subscreveram e agendaram para esta sexta-feira, dia 13, uma greve geral. Algo que não acontecia desde novembro de 2013. Saiba com o que pode contar... ou não.

É pura coincidência ser sexta-feira 13, mas certo é que a greve geral da Função Pública, agendada para hoje, promete dar ‘dores de cabeça’ a alguns portugueses. O pré-aviso, entregue pelas estruturas sindicais, abrange setores como a Educação, Saúde, Justiça, Transportes, Finanças e Segurança Social.

Assim sendo, prepare-se para encontrar vários serviços como escolas, repartições e hospitais de porta fechada ou com recursos ‘a meio gás’.

Os hospitais trabalharão com os recursos habituais de um domingo, ou seja, com serviços mínimos nas urgências, cuidados intensivos e em alguns tratamentos oncológicos. Já nos transportes públicos prevê-se que todos circulem normalmente, visto que o pré-aviso só abrange apenas os serviços municipalizados do Barreiro e de Coimbra.

“A expectativa é que seja uma grande greve”, referiu Ana Avoila, coordenadora da Frente Comum, uma das três estruturas sindicais (Frente Comum, Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado-STE e Federação de Sindicatos da Administração Pública - Fesap) que convocou esta greve geral. A última, recorde-se, realizou-se dia 8 de novembro de 2013.

O que reclamam os sindicatos?

Esta união de esforços entre sindicatos e confederações da Função Pública visa lutar contra o sistema de requalificação e a reposição do horário das 35 horas semanais de trabalho (desde setembro de 2013 que está em vigor o regime das 40 horas/semanais).

Quanto ao facto de a paralisação estar agendada para uma sexta-feira, véspera de fim-de-semana, Ana Avoila, em declarações ao Jornal de Negócios, defendeu que “fazem-se Conselhos de Ministro ao sábado para aprovar leis. Mal seria se os funcionários não fizessem greve à sexta-feira. É um direito fazer greve nesse dia como noutro dia qualquer”.

Outras notícias