28/03/2020
12:48:14
SinalTV - Canal MEO 500520
07-01-2020
Sociedade

Deputados acusam DGEG de “inércia” nos abatimentos de solo em Minas de Jales

Deputados acusam DGEG de “inércia” nos abatimentos de solo em Minas de Jales

34 deputados da assembleia municipal de Vila Pouca de Aguiar acusam a Direção Geral de Energia e Geologia, DGEG de “inércia” nos abatimentos de solo, junto à exploração das antigas minas de Jales.

Segundo a autarquia de Vila Pouca de Aguiar, em abril de 2020 vai fazer cinco anos que o município informou o Estado Português do primeiro registo de abatimento de solo na zona das antigas minas de Jales.

A Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar só recebeu resposta da Direção Geral de Energia e Geologia na sequência de um segundo abatimento registado em fevereiro de 2018, através da realização de uma visita técnica conjunta dos serviços municipais e da Empresa de Desenvolvimento Mineiro, EDM.

Em 2019, os abatimentos multiplicaram-se e a EDM classificou a situação de “elevada complexidade e elevado risco por se localizar numa zona habitacional”. A 22 de novembro deu-se um novo abatimento na EM1172-1 e, por razões de segurança, o município foi obrigado a fechar o troço afetado que, atualmente se encontra encerrado penalizando o dia-a-dia dos habitantes de Minas de Jales.

Os 34 deputados lamentam a “inércia” da DGEG no processo e questionam sobre os procedimentos prometidos, nomeadamente os estudos técnicos e ensaios de suporte que fundamentarão a realidade do problema por forma a encontrar a devida solução.

A moção “Abatimentos de solo junto à exploração das antigas minas de Jales” foi aprovada em  Assembleia Municipal a 20 de dezembro.

 

Fonte: Redação com CM Vila Pouca de Aguiar

Outras notícias