17/09/2019
16:57:07
SinalTV - Canal MEO 500520
09-10-2014
Cultura

«A Última Vez que Vi Macau» vence Prémios Sophia

«A Última Vez que Vi Macau» vence Prémios Sophia
«Até Amanhã Camaradas», de Joaquim Leitão, foi outro dos mais premiados na cerimónia que distingue a melhor produção do cinema português. «A Última Vez que Vi Macau», de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, recebeu o Prémio Sophia de Melhor Filme, enquanto Joaquim Leitão venceu o Prémio Sophia para Melhor Realizador com o filme «Até Amanhã Camaradas», na terceira edição dos Prémios Sophia que decorreu no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Rita Durão, com "Em Segunda Mão", obteve o prémio para Melhor Atriz, enquanto o de Melhor Ator foi para o desaparecido Pedro Hestnes, também pela interpretação no mesmo filme.

O Prémio de Melhor Atriz Secundária foi atribuído a Beatriz Batarda, pela interpretação em «Comboio Noturno para Lisboa», e o de Ator Secundário a Adriano Luz, pelo seu papel em «Até Amanhã Camaradas».

O Prémio de Melhor Diretor de Fotografia foi para Rui Poças, por «A Última Vez que Vi Macau», também distinguido como Melhor Argumento Original, para João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata.

João Braz, com «É o Amor», venceu o prémio Sophia para Melhor Montagem e André Marques, com «Luminita», obteve o galardão para Melhor Curta-Metragem de Ficção.

O Prémio de Melhor Curta-Metragem de Animação foi para «Alda», de Luís Catalo, Ana Cardoso, Filipe Fonseca e Liliana Sobreiro, e o de Melhor Curta-Metragem Documentário para «Lápis Azul», de Rafael Antunes.

A distinção para Melhor Documentário coube a «A Batalha de Tabatô», de João Viana, e o de Melhor Guarda-Roupa a Maria Gonzaga e Maria Amaral, por «Até Amanhã Camaradas».

Augusto Mayer, com «Comboio Noturno para Lisboa», venceu Direção de Arte e o de Melhor Caracterização foi atribuído a Sano de Perpessac, pelo mesmo filme.

Já o Prémio de Melhor Som foi para Carlos Alberto Lopes e Branko Neskov, pelo filme «Até Amanhã Camaradas», enquanto Rodrigo Leão venceu o de Melhor Música, com «O Frágil Som do Meu Motor».

A Academia atribuiu ainda prémios de carreira ao diretor de fotografia Eduardo Serra, ao produtor Henrique Espírito Santo e ao realizador José Fonseca e Costa.

Numa cerimónia dedicada à música no cinema português, Gisela João cantou «Não venhas tarde», do filme «Lavadeiras de Portugal», Noiserv tocou «Palco do Tempo», do filme «José & Pilar», Pedro Abrunhosa cantou «Se eu fosse um dia o teu olhar», de «Adão e Eva», Pedro Jóia reinterpretou «Verdes Anos», de Carlos Paredes, e Sérgio Godinho recuperou «Balada da Rita», do filme «Kilas, o Mau da Fita».

A Academia Portuguesa de Cinema anunciou que a quarta edição dos prémios acontecerá a 2 de abril de 2015.

Fonte: SAPO - Cinema

Outras notícias